Seis formas de evoluirmos o trabalho educativo na APAS - slogan suspenso sobre uma mão pintada.

Fundamentação

Bolas de sabão
Felicidade
Flauta
Gémeas
Pequenos monges
Pendurada na árvore
Sorriso
Música com tachos
Tintas coloridas
Este projecto tem treze anos de experiência, investigação internacional e de prática com crianças e jovens que necessitam de uma nova abordagem. Internacionalmente temos observado que apesar das profundas diferenças culturais e económico-sociais entre países e regiões, os problemas de renovação da escola novecentista são os mesmos. Em Portugal, os alunos buscam não uma renovação mas uma mudança de todo o paradigma da aprendizagem. Aqui enquadramos todas as crianças e jovens com quem temos trabalhado, desde os que obtêm os melhores resultados escolares aos que são diagnosticados com problemas mais ou menos graves de comportamento e ou aprendizagem.

Porquê agora? Porque a crise internacional que rebentou em 2008, não é apenas económica-financeira, mas sobretudo sócio-cultural e educacional. O paradigma estudo-emprego-sucesso está exposto como um mito e o público em geral dá-se conta que as respostas do século XIX não servem nem para agora, nem para o futuro das novas gerações. Acresce que o nosso projecto, desenhado para toda a gente, transversal às classes sociais culturas e ideologias, recebe cada um numa preparação a posteriori conhecendo caso a caso e construindo sob o que cada um traz. A intemporalidade destas abordagens vem de um auto-conhecimento e a consciência de si serem, em todas as épocas, regiões e contextos culturais, a base de uma vida criativa, produtiva e feliz. 

Selecções

grupo-em-sintra.jpg